Telegramas da embaixada brasileira em Cuba revelam o óbvio: a maracutaia por trás do programa Mais Médicos envolvendo o Partido dos Trabalhadores e a ditadura cubana.

Os documentos mostram que partiu de Cuba a ideia de criar o programa, além da estratégia adotada pelo governo petista na época para precisar fazer tudo sem a necessidade de passar pela aprovação do Congresso.

O pior: há ainda uma sugestão de que o Mais Médicos foi feito para que o Brasil enviasse dinheiro para Cuba poder honrar a dívida com o Porto de Mariel, construído pela Odebrecht com recursos do BNDES.

No programa, médicos cubanos ficavam com menos de 30% do salário e o resto era enviado direto para o governo de Cuba. Foram mais de R$ 5 bilhões enviados para a ditadura nesse esquema.

É essa a caixa-preta que Bolsonaro precisa abrir assim que assumir a presidência ano que vem.

Abaixo, trecho do telegrama que revela o esquema.

As informações são do O Antagonista e G1.

Rafael Rizzo
@@rafaelrizzooo
Coordenador de comunicações do MBL, também conhecido como diretor de memes, desde fevereiro de 2015. Redator do MBL News.