fbpx
Justiça
TRF-4 nega pedido de Lula contra desembargador

Quem lembra da batalha jurídica que plantonista do TRF-4 causou?

18/07/2019 16h24

Nesta quinta-feira (18), o Tribunal Regional Federal da 4. Região negou, por unanimidade, o pedido de suspeição da defesa do ex-presidente Lula contra o desembargador federal Carlos Eduardo Thompson Flores, responsável pela ação do Sítio de Atibaia.

Uma das justificativas de defesa é que Thompson determinou que Lula continuasse preso após um HC ser acolhido em plantão. O caso ficou conhecido há um ano atrás, quando juiz plantonista, Rogério Favreto, acatou um habeas corpus mesmo sem ter competência para tal ação.

Na ocasião, Sérgio Moro, ainda juiz da Lava Jato, se manifestou afirmando que o plantonista não poderia acatar tal pedido da defesa de Lula. Em resposta, Fraveto emitiu um despacho reforçando o acolhimento do HC.

Em seguida, o relator do processo no TRF-4, João Pedro Gebran Neto, derrubou a decisão de Fraveto, que mais uma vez reforçou o acolhimento do habeas corpus. Após a batalha jurídica, o presidente do TRF-4, Carlos Eduardo Thompson Flores, decidiu que Lula continuaria preso.

As informações são do G1.

Professor de filosofia, jornalista e diretor do movimento Neoiluminismo. Entusiasta da filosofia, [geo]política, economia e literatura.