Suposto líder do PT e derrotado nas urnas: entenda a nova fase de Lindbergh Farias

O petista Lindbergh Farias, Senador da República pelo Rio de Janeiro até Janeiro de 2019, está de

 18 de outubro de 2018 | 15h40
Por Guto Zacarias

O petista Lindbergh Farias, Senador da República pelo Rio de Janeiro até Janeiro de 2019, está de cara nova. Ex-líder de movimentos estudantis e um dos principais quadros dos “caras pintadas” contra o ex-presidente Collor (com quem, após se tornar político, se aliou), apesar de sempre ter destaque no PT, hoje está extremamente poderoso. Veja os motivos:

Líder do PT e aproximação de Gleisi Hoffmann: com a prisão de Lula, condenado por lavagem de dinheiro e corrupção, Lindbergh tem ganhado cada vez mais projeção como uma das lideranças do partido, de acordo com recente reportagem, petistas do Brasil inteiro estão impressionados com o fato de Lindbergh estar mandando durante a gestão Gleisi Hoffmann.

Derrotado nas urnas: Lindbergh não conseguiu se reeleger para o Senado representando seu estado: Rio de Janeiro. Ele ficou em quarto na busca por uma das duas vagas em disputa. Os eleitos foram Flávio Bolsonaro (PSL) e Arolde de Oliveira (PSD).

Brigas no Twitter: o Senador carioca travou algumas batalhas com Jair Bolsonaro, candidato à presidência da República pelo PSL. Após Lindberg comentar uma postagem de Bolsonaro, Bolsonaro respondeu: #VaiPraCuritiba.

Sem foro é Moro: delatores da Odebrecht disseram em delações premiadas que Lindberg Farias recebeu R$ 4,5 milhões do departamento de propinas da empreiteira nas campanhas de 2008 e 2010 e, em contrapartida, Lindberg teria beneficiado a Odebrecht em contratos administrativos relacionados ao programa “Pró-Moradia”.

Identidade permanente: apesar de Haddad mudar o tom da campanha, tirando Lula, a estrela do PT e as cores vermelhas do partido, Lindbergh manteve o tradicional vermelho em suas redes sociais. Veja:

Um novo Lindbergh?