Senador que votou sim pelo aumento do STF já teve pedido de prisão determinado pela corte

Nesta quarta-feira, 07, o Senado aprovou por 41 votos a 16 o projeto que estava parado desde

 8 de novembro de 2018 | 9h01
Por Cauê Del Valle

Nesta quarta-feira, 07, o Senado aprovou por 41 votos a 16 o projeto que estava parado desde 2016 na casa e já havia sido aprovado pelo Congresso, que aumenta em 16% os salários dos ministros do Supremo Tribunal Federal. Com o reajuste aprovado, os subsídios dos magistrados passarão de R$ 33,7 mil para R$ 39,2 mil. Agora a aprovação segue para sansão presidencial e pode ser vetado pelo presidente Michel Temer.

Dentre os votos favoráveis ao aumento está o do senador Acir Gurgacz (PDT-RO), derrotado na disputa pelo governo de Rondônia nas últimas eleições, mas que mantém seu mandato como senador mesmo tendo a determinação da pena de quatro anos e meio de prisão, em regime inicial semiaberto, sendo a sentença imposta em fevereiro pelo próprio STF. Acirle foi condenado pela segunda turma da Corte pelo crime de desvio de finalidade na aplicação de financiamento obtido em instituição financeira oficial.

Segundo cálculos de consultorias da Congresso e do Senado, o reajuste aprovado ontem poderá causar um impacto de R$ 4 bilhões nas contas públicas da União.