Mourão se posiciona sobre suposta ”ameaça totalitária” no Brasil

Durante um evento sobre segurança pública em Novo Hamburgo (RS), na última quarta-feira, 24, o candidato à

 25 de outubro de 2018 | 16h36
Por Cauê Del Valle

Durante um evento sobre segurança pública em Novo Hamburgo (RS), na última quarta-feira, 24, o candidato à vice-presidência de Bolsonaro, Hamilton Mourão, descartou qualquer possibilidade de que o Exército, caso o candidato do PSL seja eleito, se movimente em torno de qualquer projeto totalitário de poder, como informa o Valor.

“Não poderemos jamais fugir do sistema democrático. A democracia, por pior que seja, ainda é o melhor dos regimes.”

O general da reserva completou sua fala lembrando-se da crise na Venezuela, promovida pelo regime Maduro e afirmou que as Forças Armadas, em especial o Exército do Brasil, “não é corrupto e jamais irá se vender para qualquer projeto de natureza totalitária”.

Mourão ainda defendeu a “preservação da liberdade como o maior dos bens”, com a ressalva de que a liberdade de um termina quando começa a do outro: “Não é libertinagem, é liberdade.”