MBL-Ceará é proibido de entrar em palestra pública de Ricardo Lewandowski

Nesta sexta-feira, 07, Ricardo Lewandowski, do Supremo Tribunal Federal, ministrou uma palestra pública na Câmara Municipal de

 7 de dezembro de 2018 | 14h24
Por Francine Galbier

Nesta sexta-feira, 07, Ricardo Lewandowski, do Supremo Tribunal Federal, ministrou uma palestra pública na Câmara Municipal de Fortaleza, Ceará. Lewandowski se comportou mais uma vez como um ditador de toga: integrantes do Movimento Brasil Livre do Ceará estiveram presente no local, mas como protestavam contra o ministro, foram  impedidos de participar do evento. O coordenador estadual do MBL no Ceará, Carmelo Neto, denunciou o ocorrido em vídeo:

“A gente chegou na Câmara Municipal por volta das 08h00, o evento estava marcado para às 08h30. Quando a gente foi tentar entrar, o segurança foi logo fechando todos os portões e começou a inventar várias desculpas. O evento era aberto ao público, foi divulgado nas redes sociais da Câmara, foi divulgado no portal oficial, está na programação da Câmara, tem convite nas redes sociais e qualquer pessoa poderia comparecer e bloquearam nossa entrada. Começaram a dizer que o evento era fechado para servidores, só que outras pessoas que a gente conhece, que não são servidores da Casa, conseguiram entrar normalmente”, relata Carmelo ao News.

“Depois disseram que tinha inscrição, que tinha que ter feito agendamento. Só que a gente pediu a lista pra saber quem era ou não inscrito e eles não tinham lista nenhuma. Também não tinha nenhum link de inscrição nos convites das redes sociais e nem no portal da Câmara. Ou seja, foi birra. Ninguém liberou. Eu entendo o trabalho do pessoal da segurança porque a gente sabe que a ordem veio de cima”, completou.

 

Carmelo Neto, coordenador do Movimento Brasil Livre no Ceará, protesta contra o ministro Ricardo Lewandowski, do STF, em frente a Câmara Municipal de Fortaleza, onde Lewandowski palestrava. Carmelo foi impedido de entrar no local.

Para Carmelo, a atitude de Lewandowski é incoerente pois ele proibiu o povo de entrar em sua própria casa, já que a Câmara Municipal é a chamada “casa do povo”. “Algo tão incoerente como as decisões do próprio Lewandowski, de ir contra a Constituição – Art. 5, inciso IV, da liberdade de expressão, ao mandar prender o advogado [Cristiano de Acioli], e é da índole do Ricardo Lewandowski rasgar a Constituição. Ele fez isso na época do impeachment da ex-presidente Dilma e agora rasgou novamente a CF ferindo gravemente a liberdade de expressão de um cidadão que protestava e dizia que o Supremo Tribunal Federal é uma vergonha, que é um sentimento causado pelos próprios ministros do Supremo e pelas suas atitudes nos últimos anos.”

“A manifestação foi pacífica, embora a gente não tenha entrado na Câmara, nós deixamos o nosso recado. Mostramos nossa insatisfação dizendo em alto e bom som que o cearense compartilha do mesmo sentimento do povo brasileiro: o Supremo Tribunal Federal é uma vergonha para a nação”, disse Carmelo.

Movimento Brasil Livre Ceará em frente a Câmara Municipal de Fortaleza, em protesto contra Ricardo Lewandowski, que palestrava no local.