Mais de 100 promotores e procuradores lançam manifesto contra professores militantes

Mais de 100 promotores e procuradores lançaram um manifesto na sexta-feira, 9 de novembro, em que repudiam

 10 de novembro de 2018 | 18h25
Por Rafael Rizzo

Mais de 100 promotores e procuradores lançaram um manifesto na sexta-feira, 9 de novembro, em que repudiam a doutrinação em sala de aula feita por professores militantes e ativistas. Diz um trecho:

“Os estudantes são lesados quando professores militantes e ativistas se aproveitam de sua audiência cativa para tentar transformá-los em réplicas ideológicas de si mesmos; quando são cooptados e usados como massa de manobra a serviço dos interesses de sindicatos, movimentos e partidos; quando são ridicularizados, estigmatizados e perseguidos por possuírem ou expressarem crenças ou convicções religiosas, morais, políticas e partidárias diferentes das dos professores; quando estes lhes sonegam ou distorcem informações importantes para sua formação intelectual e para o conhecimento da verdade; quando o tempo precioso do aprendizado é desperdiçado com a pregação ideológica e a propaganda político-partidária mais ou menos disfarçada.”

Os promotores e procuradores ainda afirmam que os projetos de lei baseados no Escola Sem Partido são constitucionais.

Informações do Estadão.