Houve propina em 900 das 1000 medidas provisórias do Governo PT, diz Palocci

Ainda sobre a delação premiada de Antonio Palocci com a Polícia Federal, o petista contou que houve

 1 de outubro de 2018 | 15h01
Por Francine Galbier

Ainda sobre a delação premiada de Antonio Palocci com a Polícia Federal, o petista contou que houve pagamento de propina para o que chamou de “emendas exóticas” em 900 das 1000 medidas provisórias que foram editadas pelo governo do PT em quatro anos.

Leia o trecho:

Nesta segunda, 30, o juiz federal Sérgio Moro levantou o sigilo de parte da colaboração premiada de Palocci. As informações constam em uma ação penal do Instituto Lula e o juiz considerou que não acarretariam danos ao processo judicial.

No acordo, Palocci narra detalhes de um esquema de indicações de cargos na Petrobras, de reuniões no Palácio do Planalto para acerto de propina para a campanha de Dilma em 2010, as encenações de Lula fingindo se indignar com escândalos de corrupção, como o projeto do pré-sal visava atender os interesses de empreiteiras, entre outras coisas.