fbpx
Corrupção
Flávio Bolsonaro pode estar envolvido em organização criminosa, diz MP

MP também aponta indícios de lavagem de dinheiro

15/05/2019 21h36

Na ação desta quarta-feira (15), o Ministério Público do Rio de Janeiro (MP-RJ) afirma ter encontrado elementos que indicam a prática desde 2007, no gabinete do então deputado estadual, Flávio Bolsonaro (PSL), dos crimes de  peculato (apropriação, por funcionário público, de bens alheios), lavagem de dinheiro e organização criminosa.

O material com 87 páginas foi apresentado à Justiça do RJ para solicitar a quebra de sigilo bancário fiscal de Flávio Bolsonaro e outras 94 pessoas ligadas ao atual senador.

O senador foi procurado pela Veja por volta das 19:45 que enviou, por meio de sua assessoria, uma que divulgara quando houve a notícia de quebra de seu sigilo bancário, de segunda-feira 13, veja:

“Não são verdadeiras as informações vazadas na revista Veja acerca de meu patrimônio. Continuo sendo vítima de seguidos e constantes vazamentos de informações contidas em processo que está em segredo de justiça.

Os valores informados são absolutamente falsos e não chegam nem perto dos valores reais. Sempre  declarei todo meu  patrimônio à Receita Federal e tudo é compatível com a minha renda”, afirmou Flávio Bolsonaro. As informações são do jornal O Globo.

Professor de filosofia, jornalista e diretor do movimento Neoiluminismo. Entusiasta da filosofia, [geo]política, economia e literatura.