Com novo filme nos cinemas, Danilo Gentili concede entrevista exclusiva ao MBL News

Palestrante do IV Congresso Nacional do MBL e um dos humoristas mais bem sucedidos do país, Danilo

 12 de dezembro de 2018 | 13h33
Vitor Liasch/MBL
Por Cauê Del Valle

Palestrante do IV Congresso Nacional do MBL e um dos humoristas mais bem sucedidos do país, Danilo Gentili falou comigo sobre processos, carreira, ataques e sobre o seu mais recente lançamento ‘’Os Exterminadores do Além Contra a Loira do Banheiro’’, dirigido por Fabrício Bittar.

Danilo, 39, é natural de Santo André, no ABC paulista. Além de comediante, roteirista, ator, escritor, cartunista e empresário, tomou projeção nacional graças aos seus polêmicos comentários enquanto ainda integrava o time do extinto CQC, programa produzido pela Eyeworks e exibido pela Rede Bandeirantes entre 2008 e 2015.

Hoje a frente do The Noite no SBT, bateu o recorde histórico de audiência da emissora em 2018. O programa conta com entrevistas diárias, dentre elas, diversas personalidades internacionais como  ator e comediante Jack Black, o cantor Luis Fonsi e o produtor Sean Astin.

Abaixo a entrevista exclusiva que o Danilo Gentili concedeu ao MBL News:

 

Danilo, a Folha de São Paulo publicou recentemente uma crítica sobre o ”Os Exterminadores do Além Contra a Loira do Banheiro” em uma clara tentativa de desqualificar a proposta do filme. Qual foi a repercussão disso pra você como idealizador do projeto?

Basta separar alguns comentários do público a respeito da critica da Folha e postar aqui para todos verem que foi excelente. Eu já entendi que se eu fizer alguma coisa e a Folha elogiar é porque preciso parar e entender onde foi que eu errei para fazer o contrário em seguida.

Você tem se aventurado no audiovisual e obtido sucesso, visto que a bilheteria do cinema nacional ainda é baixa e desvalorizada. Você acha que o cinema brasileiro tem potencial para ser um produto de exportação? Quais as suas perspectivas e o que você acha que é necessário mudar para que se torne algo comercial e auto-sustentável?

Nessas duas experiências que tive fazendo filmes, eu passei por tudo. Desde ficar 4 anos tentando patrocínio privado até colocar dinheiro do meu próprio bolso, ter prejuízo e entender que existe um caminho formado pro audiovisual brasileiro que te torna completamente independente de alguém que vai acionar incentivo fiscal em alguma parte do processo, queira você ou não. Eu tenho entendido o caminho desse setor no Brasil e consigo falar para você todos problemas que encontrei, mas não consigo sugerir nenhuma solução. Só esse assunto nos renderia uma entrevista, pois eu acho que tenho muito da minha experiencia pra contar.

Você já foi alvo de diversos processos, inclusive de parlamentares como a deputada reeleita Maria do Rosário (PT-RS). Você acredita que de alguma forma a patrulha ideológica atingiu a sua carreira?

Minha vida e carreira está toda no Google. Quando eu surgi todo mainstream me rotulou como uma das maiores promessas e inovações do humor brasileiro. Ganhei prêmios e honrarias de todos veículos. Quando entenderam quem eu não seguiria a agenda deles só porque me elogiaram, e seria iconoclasta com ídolos e valores que veneram, então esses mesmos veículos começaram a me rotular como a maior desgraça do humor brasileiro. Eu experimentei as duas coisas que a mídia pode dar: elogio e assassinato de reputação. E como comediante, o que mais me fez crescer foi o assassinato de reputação. Isso me desvinculou de toda chantagem midiática e me deixou livre para eu fazer apenas o que eu queria sem precisar agradar ninguém. E hoje eu sou mais feliz quando falam mal do que quando falam bem. Eu tenho mais material sabendo que eu irrito essas pessoas do que se agrado. Esse é o papel da comédia. E eu fico feliz quando vejo colega comediante tentando ser afagado pela imprensa, tentando agradar jornalista e “classe artística formadora de opinião” repetindo discurso politicamente correto, porque eu penso: “legal, caparam mais um e eu tenho um concorrente a menos na comédia”.

O novo longa-metragem tem referências claras de filmes consagrados do chamado Horror Trash como o clássico ‘’Evil Dead’’ de 1981. Quais as suas referências e principais influencias cinematográficas?

Cicciolina e o cavalo.

 

Interpretando o youtuber ”Jack”, suposto especialista em seres sobrenaturais, Danilo Gentili está nos cinemas de todo o país com o ”Os Exterminadores do Além Contra a Loira do Banheiro”, lançado no último dia 29 de novembro, o filme atingiu a 9ª posição nas bilheterias brasileiras tendo sido visto por 51 mil pessoas no final de semana de sua estreia.