Assassinatos de minorias cresceram assustadoramente durante governos do PT

Apesar dos discursos em defesa das minorias, o PT não têm números para apresentar que representem a

 10 de outubro de 2018 | 12h25
Por Rafael Rizzo

Apesar dos discursos em defesa das minorias, o PT não têm números para apresentar que representem a defesa que o partido faz publicamente de gays, mulheres e negros. O Brasil hoje contabiliza mais de 60 mil homicídios por ano envolvendo gente de todas as cores, orientações sexuais, classes sociais, etc. É um número elevado para todo mundo, mas principalmente para as tais minorias que o partido de Haddad diz defender.

Entre homens negros, o Atlas da Violência  contabiliza aumento de 58% no número de assassinatos entre 2003 e 2016; entre mulheres, o o aumento foi de 18%. Já entre gays, o Grupo Gay da Bahia conta um aumento de 242% de 2000 a 2017.

Também no Atlas da Violência, o número de assassinatos de nordestinos aumentou 209% nos governos do PT.

A menor minoria é o indivíduo, a gente já sabe, mas é importante apresentar esses números para rebater a mentira de que o PT proteger minorias enquanto seus adversários perseguem elas.

A política do PT a gente já conhece: desencarceramento, “cadeia não resolve”, desarmamento da população e etc. Que o eleitor lembre disso nas urnas.