Após dizer que não era cristã, Manuela d’Ávila vai à Igreja

Meses depois de dizer que a chance de retirar sua candidatura á presidência da República era de

 12 de outubro de 2018 | 17h52
Por Guto Zacarias

Meses depois de dizer que a chance de retirar sua candidatura á presidência da República era de 0% e, logo após, retirar sua candidatura e ser vice na chapa de Haddad (PT), Manuela d’Ávila vai á igreja depois de dizer que não era cristã.

Essa é mais uma estratégia dos petistas para o segundo turno: tentar passar a imagem de “pessoas de família” para tentar uma aproximação com o público religioso e conservador brasileiro que, obviamente, está ligado ao outro postulante á presidência da República: Jair Bolsonaro (PSL).

Vale lembrar que a claque de Manuela D’Ávila é o PCdoB e sua forte ligação com movimentos estudantis que são extremamente contra a família, o casamento, o aborto e o cristianismo. Obviamente, Manuela só irá conseguir aumentar a sua rejeição perante ao público conservador brasileiro.

De fato, Manuela D’Ávila não parece ter muito apreço pela verdade.