A Polícia Federal prendeu nesta sexta (21) Assad Ahmad Barakat, um dos principais financiadores do grupo libanês paramilitar e islâmico Hezbollah. Ele foi detido em Foz do Iguaçu, Paraná. Segundo o jornal argentino Infobae, Barakat atuava na tríplice fronteira entre Brasil, Argentina e Paraguai. Ele estava foragido após um pedido de captura internacional por falsidade ideológica, emitido pelas autoridades paraguaias em 31 de agosto. Também há uma acusação de lavagem de dinheiro ilegal em cassinos argentinos. A prisão foi autorizada na quarta (19) pelo Supremo Tribunal Federal. As informações são da Istoé.

o/ Francine Galbier

Vídeo: Constrangido por Kéfera em Encontro, Wallace fala com exclusividade ao MBL News

O assunto do final de semana foi o show de arrogância da youtuber Kéfera no programa global > continuar lendo…

Com novo filme nos cinemas, Danilo Gentili concede entrevista exclusiva ao MBL News

Palestrante do IV Congresso Nacional do MBL e um dos humoristas mais bem sucedidos do país, Danilo > continuar lendo…

MBL-Ceará é proibido de entrar em palestra pública de Ricardo Lewandowski

Nesta sexta-feira, 07, Ricardo Lewandowski, do Supremo Tribunal Federal, ministrou uma palestra pública na Câmara Municipal de > continuar lendo…

10 motivos para ter vergonha do STF

A Constituição Federal brasileira garante liberdade de expressão a todos os brasileiros. É o que parece. Essa > continuar lendo…

“Faria tudo mil vezes e repito, eu tenho vergonha do STF”, diz advogado que recebeu ordem de prisão de Lewandowski em entrevista ao MBL News

Na última quarta-feira, 5, o Brasil ficou horrorizado ao descobrir que o ministro Ricardo Lewandowski, do Supremo > continuar lendo…

‘’Prefiro defender um policial no tribunal a ir ao funeral dele’’ diz Wilson Witzel em entrevista exclusiva ao MBL News.

 ‘’Quem está portando uma arma de guerra certamente não está disposto a conversar ou negociar com as > continuar lendo…

Escola Sem Partido está a um passo de ser votado na Câmara dos Deputados e se tornar lei federal

Há pouco tempo atrás, a imprensa condenou a postura de uma professora de história, a catarinense Ana > continuar lendo…