Antonio Palocci disse à Justiça Federal em depoimento que a origem do dinheiro repassado pelo lobista Mauro Marcondes a Luis Cláudio Lula da Silva  veio da aprovação da Medida Provisória, que beneficiou as montadoras Caoa e Mitsubishi, informou O Antagonista.

Segundo o “italiano”, o filho de Lula lhe procurou para pedir de dois a três milhões de reais para a TouchDown, e o ex-ministro conversou com o ex-presidente – e agora presidiário – sobre a ajuda.

Lula respondeu a Palocci que era melhor não se envolver porque já havia problemas com Mauro Marcondes para resolver. Mas, de acordo com o ex-ministro, Lula confirmou que o dinheiro da propina sairia da transação com medidas provisórias.

o/ Francine Galbier

Vídeo: Constrangido por Kéfera em Encontro, Wallace fala com exclusividade ao MBL News

O assunto do final de semana foi o show de arrogância da youtuber Kéfera no programa global > continuar lendo…

Com novo filme nos cinemas, Danilo Gentili concede entrevista exclusiva ao MBL News

Palestrante do IV Congresso Nacional do MBL e um dos humoristas mais bem sucedidos do país, Danilo > continuar lendo…

MBL-Ceará é proibido de entrar em palestra pública de Ricardo Lewandowski

Nesta sexta-feira, 07, Ricardo Lewandowski, do Supremo Tribunal Federal, ministrou uma palestra pública na Câmara Municipal de > continuar lendo…

10 motivos para ter vergonha do STF

A Constituição Federal brasileira garante liberdade de expressão a todos os brasileiros. É o que parece. Essa > continuar lendo…

“Faria tudo mil vezes e repito, eu tenho vergonha do STF”, diz advogado que recebeu ordem de prisão de Lewandowski em entrevista ao MBL News

Na última quarta-feira, 5, o Brasil ficou horrorizado ao descobrir que o ministro Ricardo Lewandowski, do Supremo > continuar lendo…

‘’Prefiro defender um policial no tribunal a ir ao funeral dele’’ diz Wilson Witzel em entrevista exclusiva ao MBL News.

 ‘’Quem está portando uma arma de guerra certamente não está disposto a conversar ou negociar com as > continuar lendo…

Escola Sem Partido está a um passo de ser votado na Câmara dos Deputados e se tornar lei federal

Há pouco tempo atrás, a imprensa condenou a postura de uma professora de história, a catarinense Ana > continuar lendo…