Parece que o conto de fadas do socialismo cubano vai encontrar a realidade mais uma vez: médicos que estavam no programa Mais Médicos estão preferindo ficar no “aterrorizante” Brasil governado por Bolsonaro do que voltar ao “sonho” construído por Fidel Castro.

É o caso de Raymond Garcia, de 32 anos, que disse para a Associated Press que não tinha opção. “A vida lá é muito limitada. Há educação e saúde de graça, mas o que mais? Não quero voltar e passar pobreza nem castigar minha mulher e meu filho. Eles não merecem isso”, disse.

A decisão tomada recentemente por Garcia já foi tomada por Alioski Ramírez no ano passado. Ramírez havia entrado na Justiça brasileira para sair do Mais Médicos e ser médico independente. Foi quando a ditadura cubana ordenou que voltasse ao país. “Me ameaçaram, disseram que tinha que voltar e iam suspender meu direito de exercer medicina. Como profissional formado, não queria voltar a cortar cana de açucar. Decidi ficar”. Ramírez ainda disse que só aprendeu o que é liberdade no Brasil, e não em Cuba.

 

o/ Rafael Rizzo

Imposto não é roubo! – Um Apelo à Defesa Consistente do Liberalismo

Por Alexandre Lopes “Que imposto é roubo é algo evidente!” §1 Há uma diferença fundamental entre os > continuar lendo…

Com novo filme nos cinemas, Danilo Gentili concede entrevista exclusiva ao MBL News

Palestrante do IV Congresso Nacional do MBL e um dos humoristas mais bem sucedidos do país, Danilo > continuar lendo…

MBL-Ceará é proibido de entrar em palestra pública de Ricardo Lewandowski

Nesta sexta-feira, 07, Ricardo Lewandowski, do Supremo Tribunal Federal, ministrou uma palestra pública na Câmara Municipal de > continuar lendo…

10 motivos para ter vergonha do STF

A Constituição Federal brasileira garante liberdade de expressão a todos os brasileiros. É o que parece. Essa > continuar lendo…

“Faria tudo mil vezes e repito, eu tenho vergonha do STF”, diz advogado que recebeu ordem de prisão de Lewandowski em entrevista ao MBL News

Na última quarta-feira, 5, o Brasil ficou horrorizado ao descobrir que o ministro Ricardo Lewandowski, do Supremo > continuar lendo…

‘’Prefiro defender um policial no tribunal a ir ao funeral dele’’ diz Wilson Witzel em entrevista exclusiva ao MBL News.

 ‘’Quem está portando uma arma de guerra certamente não está disposto a conversar ou negociar com as > continuar lendo…

Escola Sem Partido está a um passo de ser votado na Câmara dos Deputados e se tornar lei federal

Há pouco tempo atrás, a imprensa condenou a postura de uma professora de história, a catarinense Ana > continuar lendo…