Na última quarta-feira, dia 7 de novembro, o Senado Federal aprovou um aumento de 16% no salário de ministros do STF, passando de cerca de R$ 33 mil para R$ 39 mil. O maior problema disso é o efeito-cascata: procuradores, promotores, desembargadores e outras carreiras do Judiciário também terão seus salários aumentados.

O impacto total, se o projeto for sancionado pelo presidente Michel Temer, pode chegar a R$ 6 bilhões por ano.

Para justificar este rombo, alguns ministros do STF e senadores favoráveis à medida disseram que agora poderão lutar pelo fim do auxílio-moradia. Dizem que a medida compensaria o aumento salarial.

A realidade é outra. Bruno Carazza, do blog “O E$pírito das leis”, fez as contas: o auxílio-moradia não passa de R$ 2 bilhões por ano, menos de 1/3 do impacto do aumento aprovado pelo Senado.

Ou seja, mesmo que o fim do auxílio-moradia seja aprovado, há ainda um rombo de R$ 4 bilhões a mais por ano deixado para o próximo governo.

o/ Rafael Rizzo

Imposto não é roubo! – Um Apelo à Defesa Consistente do Liberalismo

Por Alexandre Lopes “Que imposto é roubo é algo evidente!” §1 Há uma diferença fundamental entre os > continuar lendo…

Com novo filme nos cinemas, Danilo Gentili concede entrevista exclusiva ao MBL News

Palestrante do IV Congresso Nacional do MBL e um dos humoristas mais bem sucedidos do país, Danilo > continuar lendo…

MBL-Ceará é proibido de entrar em palestra pública de Ricardo Lewandowski

Nesta sexta-feira, 07, Ricardo Lewandowski, do Supremo Tribunal Federal, ministrou uma palestra pública na Câmara Municipal de > continuar lendo…

10 motivos para ter vergonha do STF

A Constituição Federal brasileira garante liberdade de expressão a todos os brasileiros. É o que parece. Essa > continuar lendo…

“Faria tudo mil vezes e repito, eu tenho vergonha do STF”, diz advogado que recebeu ordem de prisão de Lewandowski em entrevista ao MBL News

Na última quarta-feira, 5, o Brasil ficou horrorizado ao descobrir que o ministro Ricardo Lewandowski, do Supremo > continuar lendo…

‘’Prefiro defender um policial no tribunal a ir ao funeral dele’’ diz Wilson Witzel em entrevista exclusiva ao MBL News.

 ‘’Quem está portando uma arma de guerra certamente não está disposto a conversar ou negociar com as > continuar lendo…

Escola Sem Partido está a um passo de ser votado na Câmara dos Deputados e se tornar lei federal

Há pouco tempo atrás, a imprensa condenou a postura de uma professora de história, a catarinense Ana > continuar lendo…