Na noite de ontem (13), o deputado estadual Carlos Giannazi (PSOL), promoveu uma audiência contrária ao projeto Escola Sem Partido na Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo (ALESP). Enquanto Giannazi promovia a audiência – sem pluralidade de ideias -, o deputado estadual eleito Douglas Garcia (PSL) compareceu ao ambiente com alguns ativistas que defendem o projeto. O deputado Douglas pediu para participar da audiência, pedido que foi negado por Giannazi. Como se não houvessem câmeras, o psolista tentou arrancar o celular da mão de Garcia e o empurrou, como se não bastasse ter agredido um colega deputado, ele ainda bateu com o microfone em uma mulher, que teve de ir ao hospital e está com o braço enfaixado.  O vídeo da agressão você pode ver na página oficial do deputado eleito.

Esta briga pode ir além, uma vez que Douglas pedirá a cassação do mandato de Giannazi por quebra de decoro parlamentar. O psolista que antes não tinha oposição na Assembleia, agora terá de lidar com uma grande bancada de deputados de direita que foram eleitos para esta legislatura.

Douglas Garcia foi eleito deputado estadual com 74.351 votos aos 24 anos de idade e ocupará uma cadeira na ALESP a partir do ano que vem. Ele é um dos líderes do movimento Direita São Paulo e também é ferrenho defensor do projeto Escola Sem Partido. Conversei com ele sobre a agressão e o destempero de Carlos Giannazi, você pode conferir na íntegra a seguir:

Você se envolveu em uma discussão com o deputado Carlos Giannazi (PSOL), qual era a audiência que estava acontecendo na ALESP?

[Douglas Garcia] Era uma audiência contra ao projeto de lei Escola Sem Partido, porém, estava viciada: não se convoca audiência contra um projeto, o objetivo de uma audiência é ouvir a população sobre a propositura. O deputado Carlos Giannazi, ao compor uma mesa apenas de expositores contrários ao Escola Sem Partido, agiu de forma autoritária e não deu a oportunidade a qualquer defensor do projeto ocupar sequer um lugar na tribuna. No dia anterior à audiência, eu procurei o Dep Giannazi para solicitar este espaço, porém o deputado disse “não” e sequer me recebeu.

Por qual motivo o deputado Giannazi reagiu daquela forma?

[Douglas Garcia] O deputado reagiu daquela forma porque, primeiro de tudo, não sabe lidar com a oposição. Posso fazer um paralelo ao que ocorreu com o vereador Fernando Holiday quando a vereadora petista, Juliana Cardoso, perdeu as estribeiras no plenário e começou a gritar de forma histérica querendo partir às vias de fato com o vereador. A esquerda não sabe lidar com a verdadeira oposição. Giannazi, depois de me agredir, arremessou o microfone em uma mulher defensora do Escola sem partido (Ana Cláudia). Quer dizer: um deputado do PSOL agride negro e manda mulher para o hospital. A julgar pelos últimos ataques deste partido, fico feliz, pois pelo menos não levei cuspe.

Você pretende tomar alguma atitude contra ele?

[Douglas Garcia] Após os feriados eu entrarei com um pedido de cassação do mandato do deputado Carlos Giannazi por quebra de decoro parlamentar. O que ocorreu ontem é inadmissível, tanto pela forma da audiência como pela agressão a duas pessoas. O deputado Carlos Giannazi não está à altura do cargo. Como alguém tão desequilibrado pode ser representante do povo?

Renato Battista
@renatobattistambl
23 anos, formado em Relações Internacionais pela ESPM e pós-graduando em ciência política pela FESPSP. Repórter e colunista às sextas, escreve sobre política internacional.