Sem categoria
Slogan no Hino Nacional?

A fim de cumprir uma de suas principais plataformas de campanha – o combate a doutrinação ideológica

26/02/2019 15h36

A fim de cumprir uma de suas principais plataformas de campanha – o combate a doutrinação ideológica – o Governo Jair Bolsonaro, através do Ministério da Educação, encaminhou à toda rede de ensino uma carta recomendação para que os alunos cantassem o Hino Nacional, sendo inclusive filmado e, na sequencia que fosse lido o slogan de campanha: “Brasil Acima de Tudo, Deus Acima de Todos”.

Um erro crasso do Governo que, mesmo revestido da melhor da intenções, cometeu um ato ilegal com a referida proposta. Todos se lembram, por exemplo, que a Justiça proibiu João Dória de utilizar o “acelera” em razão da vinculação com o Governo.

Por mais emblemática e patriótica que a frase seja, e é, ela se tornou a marca de Jair Bolsonaro. Sua campanha eleitoral toda foi montada sobre este brocardo e claramente não deve ser utilizado nas escolas, em momento algum, mesmo que seja após o hino.

A proposta, rechaçada inclusive pela parte mais sensata dos apoiadores de Bolsonaro, segue na contramão de uma das principais propostas de Governo, o Escola Sem Partido. Indiscutivelmente não se combate a doutrinação doutrinando, executar a pretensão encaminhada seria no mínimo incoerente, para não dizer demagogo, algo típico dos Governos petistas.

Mas justamente nesta tipicidade observamos a redenção, o Ministro da Educação Ricardo Velez Rodrigues realizou a autocrítica, algo impossível para petistas, e reconheceu o erro. “Percebi o erro. Tirei esta frase, tirei a parte correspondente a filmar crianças sem autorização dos pais. Se alguma coisa for publicada, será dentro da lei, com autorização dos pais”, disse Vélez em visita ao Senado.

Por mais nobre que tenha sido sua intenção e, principalmente, por mais acertada que foi a autocrítica, o Governo errou novamente. Errou ao não analisar as consequências de sua proposta e agir com ingenuidade na determinação de leitura do slogan. Forneceu, com sua postura, o combustível necessário para que a mídia e a oposição atacassem não o ato, mas o Hino Nacional.

O canto do Hino nas escolas é uma pratica essencial para o desenvolvimento do amor a pátria pelo indivíduo, faz parte da educação cívica, e foi desestimulado ano após ano pelos governos petistas. Seu retorno é essencial para a construção de um novo Brasil, porém a utilização de vias erradas pelo Ministério criou o tumulto que alimenta a sanha oposicionista do PT e, que faz a cortina de fumaça necessária para demonizar o Hino.

O Governo como um todo precisa compreender a dimensão de suas atitudes, analisar com profissionalismo e altivez todas suas propostas, do contrário levarão a pique temas importantes simplesmente porque pecaram nos detalhes.

Advogado e coordenador nacional do Movimento Brasil Livre.