Em seu segundo show em São Paulo, o guitarrista, baixista e vocalista Roger Waters evitou repetir a crítica feita ao presidenciável Jair Bolsonaro na primeira apresentação, quando tomou uma vaia de 5 minutos. Roger, dessa vez, colocou uma tarja sobre o nome de Jair escrita “ponto de vista político censurado”. Não era censura, era a opinião pública se manifestando. A imagem mostrava uma lista de políticos “neo-fascistas” com Donald Trump, presidente dos Estados Unidos, Marine Le Pen, ex-candidata a presidente na França, e Nigel Farage, um dos grandes nomes do BREXIT, da Inglaterra.

O público presente chegou a ensaiar um grito de “Ele não”, mas logo foi ofuscado por gritos de “Ei, Lula, vai tomar no cu”.

Kim Kataguiri fez um vídeo para o canal do MBL no youtube comentando o caso:

Não esqueça de seguir o MBL no instagram: @mblivre

o/ Rafael Rizzo