Raquel Dodge defende prisão preventiva de investigados. Os processos estão no STF

JUSTIÇA — A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, encaminhou ao Supremo Tribunal Federal cinco manifestações contrárias a pedidos apresentados por investigados em desdobramentos da Lava Jato no Rio de Janeiro.

Os cinco — Francisco de Araújo Costa Júnior, Henri Joseph Tabet, Marco Antônio Cursini, Miguel Iskin e Sérgio Luiz Côrtes da Silveira — tiveram prisões preventivas decretadas em primeira instância no âmbito das operações Câmbio, Desligo e Fatura Exposta.

A PGR rebate os argumentos da defesa, como o de excesso de prazo da prisão preventiva.

Os casos estão com Gilmar Mendes.

*A matéria é dO Antagonista.



206,4k Seguidores
Seguir